Em sua primeira edição, evento demonstra que a arquitetura cenográfica tem um universo de possibilidades muito além daquele ensinado em sala de aula

No começo desse mês aconteceu um evento diferente. Com uma proposta desafiadora. Compartilhar conhecimentos. Quem é professor sabe bem o quanto isso pode ser difícil e, principalmente, o quanto de altruísmo tem nessa atitude. Nem todos sabem (ou querem) compartilhar. Mas existem empresas com um mindset diferente. Com o desejo de compartilhar e a missão particular de somar. Todos os dias. Cada vez mais. Com a premissa de mostrar aos estudantes de arquitetura o dia a dia do universo da arquitetura cenográfica, a BUENO abriu as portas da empresa.

Mais que isso, os convidados puderam entender que não por acaso a verdadeira experiência começa ali dentro. No atendimento, na construção do briefing, no desenho do projeto, na execução e até na hora da desmontagem. Era necessário explicar que o trabalho realizado por ali não era somente ocupar ou decorar espaços. Mas transformar momentos efêmeros em verdadeiras experiências sensoriais. Dar movimento, conceito e vida.

Para o sócio-diretor comercial da empresa, Ricardo Bueno, e um dos idealizadores do projeto, o evento foi além das expectativas e fico feliz por ter conseguido abrir a mente deles para novos horizontes profissionais. “É uma iniciativa importante para estudantes de arquitetura e arquitetos que queiram ingressar na área da arquitetura efêmera e não sabem de que forma. Nós queremos mostrar o caminho e profissionalizar cada vez mais nossa área. O amadurecimento e profissionalização é o melhor recurso para a valorização do nosso mercado”, explica.

Helen Mendes de Almeida e seu amigo Andrey viveram uma verdadeira aventura para conseguir participar do Open House. Vieram de Araras e de moto, enfrentaram mudança no trânsito e até no clima. Mas não desistiram de conhecer esse espaço de perto. Ela conta que conheceu o trabalho da BUENO pelo google e segue as redes sociais desde então. Animada ela comenta que além de ter sido muito bem recebida, conseguiu entender (na prática) mais sobre arquitetura cenográfica, uma área que tem interesse de atuação. “Posso dizer que literalmente foi uma experiência apaixonante do começo ao fim. Todos tinham muito conhecimento e muito carinho na hora de falar desta área. Foi incrível perceber que com uma equipe unida, criatividade, expertise, interesse e, principalmente, paixão, é possível ir muito longe. Só consigo ficar feliz e agradecer por essa oportunidade”, comenta.

Julia Fadel, 24 e arquiteta, não esconde sua paixão pela empresa e por essa área de cenografia. “Eu sempre soube que tem muita pitada de arte juntamente com outras áreas e com essa visita na BUENO eu consegui visualizar de perto o quanto essa relação é harmônica. Tem muita adrenalina, desafios e construções fora da caixa. É tudo fora do convencional. Eles fizeram um evento com o coração aberto e eu pude aprender ensinamentos que fizeram toda a diferença, inclusive, na minha forma de pensar. Posso dizer que foi um direcionamento profissional e que agora posso enxergar mais claramente qual é a minha busca dentro da arquitetura cenográfica”, finaliza animada.