Os visitantes precisaram sair da zona de conforto e vivenciar sensações inusitadas ao caminhar pelas intervenções cenográficas idealizadas pela empresa BUENO

Caminhos escuros, saídas duvidosas. Onde tudo começa? Onde termina? Clima frenético no meio de bolas e pontilhados de todos os tamanhos. Espelhos com o reflexo de uma composição delirante e sem limites. Estrelas e um céu inteiro a se admirar. A maior feira de marketing promocional e varejo da América Latina, Brazil Promotion, pirou. A cenografia do evento precisava representar e expressar toda essa piração. Foi assim que a BUENO Arquitetura Cenográfica foi pela décima vez convidada para ser responsável pelo conceito, projeto, direção e execução da cenografia do túnel de entrada. O evento aconteceu entre os dias 01, 02 e 03 de agosto, no Transamérica Expo Center.

Para quem foi na edição passada e conseguiu ir novamente esse ano, sem dúvidas, teve uma surpresa diferente. Na verdade, se na última feira, os visitantes puderam viajar por um incrível mundo de sonhos e relaxar, desta vez, eles foram totalmente provocados. Desafiados. Com uma proposta totalmente lúdica, a arquitetura cenográfica era um convite para você pensar e agir fora da caixa. Nada era o que parecia. O segredo ao passar por todos os ambientes do túnel de entrada era estar aberto para o novo, mas, principalmente, para a superação de desafios e medos.

Para a professora universitária, Raquel Prado, de forma geral, a feira foi muito boa e a cenografia do túnel causava uma sensação de estranheza. “Aquela falta de luz me fazia ter vontade de abandonar o local, senti como se precisasse sair dali com urgência. Mas no fim das contas deu tudo certo, um segurança me orientou para chegar no final do túnel”, conta intrigada.

36230391681_2ad6e9f38d_k

Foto: Renato Bueno

Se quando vamos assistir um filme de terror ou descer de uma montanha-russa, optamos ir por escolha própria e, de certa forma, preparados psicologicamente, na Brazil Promotion, a ocupação cenográfica cutucava. Questionava. Intrigava.  A busca por encontrar os verdadeiros caminhos por planos verticais, escuros e orgânicos, os espelhos refletindo uma formação duvidosa e um silêncio. Na sequência, a luz, o céu, as Três-Marias. Em cada espaço, em cada intervenção, as sensações e sentimentos eram colocados à prova.  

Intrigar, inspirar e imergir. Segundo a sócia-diretora comercial da empresa, Leila Bueno, todos os visitantes da feira puderam passar por essas três etapas. “Foram intrigados ao gerar algum tipo de curiosidade sobre o túnel. Inspirados quando eles tiveram que desbravar os espaços para conseguir entrar na feira. Imergiram quando vivenciaram e experimentaram as provocações das intervenções cenográficas”, explica animada.

Foto: Renato Bueno

Foto: Renato Bueno

Achar bonito, criativo, inusitado, conceitual e ficar contemplado, foram emoções que nas edições passadas os visitantes já puderam sentir. Desta vez, a proposta era justamente provocar sentimentos mais profundos. A organizadora de eventos, Ronacher Vieira Pinheiro, achou que a parte dos espelhos e os elementos que mudavam de forma eram muito agradáveis e interessantes. “Essa parte me deixou muito curiosa para saber o que esperaria por mim dentro da feira. Isso é, criou uma expectativa e eu fiquei pensando o que tudo aquilo tinha a ver com o contexto e o tema do evento”, comenta.

Para o sócio e diretor de criação da empresa BUENO, Ricardo Bueno, fazia parte do plano que as pessoas pudessem viver coisas diferentes dentro de uma área de entretenimento. “Dúvida, medo, curiosidade, vertigem, admiração, irritação, arrepio, empolgação, adrenalina. Os visitantes entravam de um jeito e saiam do outro lado de uma forma diferente. Foram desafiados a experimentar o desconhecido. Experimentaram e vivenciaram situações que eles jamais imaginavam. Fico feliz de saber que conseguimos alcançar o resultado que a gente queria”, finaliza satisfeito.